Com a associação de polímeros e pigmentos, a indústria química aprimora cada vez mais a formulação das tintas, em busca do poder de cobertura ideal.

Tintas de alta qualidade são, necessariamente, tintas de maior poder de cobertura. Elas contêm uma carga maior de matérias-primas que asseguram que a tinta tenha boa aplicabilidade, boa cobertura e boa durabilidade ao longo do tempo.

Ao ir às compras para sua reforma em casa, um dos quesitos de atenção do consumidor é, cada vez mais, o poder de cobertura da tinta escolhida. Além de ser atóxico, não provocar odor muito forte e ter boa aplicabilidade, o produto deve ser realmente eficiente no recobrimento da superfície onde será aplicado. A tendência fica ainda mais evidente com o crescimento do mercado “faça você mesmo”, em que o consumidor interfere diretamente na escolha do produto e/ou na realização do serviço.

Na indústria, um dos componentes químicos mais usados para garantir alta cobertura às tintas é o dióxido de titânio, dadas suas propriedades de espalhamento de luz. No entanto, esse pigmento tem suas limitações. Seu poder de opacidade pode ficar ainda maior se a tinta contiver, também, um “melhorador”.

A tecnologia a favor do poder de cobertura das tintas

Assim, pensando na otimização das propriedades de cobertura, a indústria tem investido na combinação de diferentes componentes na formulação das tintas. Dois bons exemplos são o dióxido de titânio e os polímeros opacos. É possível dizer que a ação de um complementa a do outro.

E, quanto mais o dióxido de titânio é substituído por polímeros opacos, menor o custo de produção e o impacto ambiental da tinta. De quebra, há outros diversos benefícios.

Além da cobertura, a presença do polímero interfere, de forma positiva, em:

  • Formação de filme
  • Brilho da tinta
  • Durabilidade
  • Resistência à remoção de cor
  • Resistência à absorção da sujeira do dia a dia
  • Diminuição da densidade – na lata de tinta, se a densidade é muito alta, a tinta tende a se separar em fases. Quando a densidade não é tão alta, ela se mantém homogênea.

Tais atributos fazem do polímero um atributo-chave de performance para as tintas mais modernas do mercado, sem adicionar custo à produção.

A necessidade de menos demãos é mais uma vantagem de uma tinta com polímeros opacos em sua composição. Se o composto implica em uma tinta que cobre mais e melhor, menor a necessidade de sucessivas demãos.

Tome nota: glossário

Entenda o que significam alguns dos termos mais usados para se falar do processo de fabricação de tintas de alto poder de cobertura:

Dióxido de titânio
Melhor material conhecido para dar cobertura à tinta. Sem ele, é difícil que uma nova tinta cubra o que está “embaixo”.

Polímero opaco
Partícula que vem sendo usada pela indústria para tornar as propriedades de cobertura da tinta ainda mais eficientes. Além disso, a tinta ganha outros benefícios, como durabilidade e resistência.

Eficiência energética
Como o dióxido de titânio é um mineral extraído da natureza, seu uso é custoso e tem impacto ambiental considerável. Conseguir substituí-lo – e, de quebra, melhorar o resultado – é sinal de eficiência energética e melhoria do custo-benefício.

 

LEIA MAIS
A importância da viscosidade para as tintas
La importancia de la viscosidad para las tintas