A tinta acrílica é hoje uma das preferidas dos consumidores pela sua versatilidade, alto desempenho e eficiência.

No passado, as tintas eram produzidas com resinas de origem natural, na maioria vegetais. Foi com o tempo que a indústria química e os fabricantes passaram a usar elementos sintéticos, como as resinas acrílicas.

 

Quando consumidores entram em lojas de tintas e veem uma infinidade de produtos nas prateleiras, eles estão diante do que a química tem de melhor a oferecer: proporcionar soluções para diferentes necessidades. Tanto em um projeto de decoração, quanto em uma reforma de uma área industrial.

As chamadas tintas imobiliárias, usadas para a pintura de paredes em residências, escritórios e estabelecimentos comerciais, por exemplo, são maioria nas vendas do setor. E entre elas a tinta acrílica está entre as preferidas dos consumidores, em grande parte por sua versatilidade, alto desempenho e eficiência.

As resinas acrílicas são o ligante que viabiliza a formação do filme da tinta e têm várias funções na composição desta, como garantir propriedades mecânicas e resistência química, entre outras funções. Por esse motivo, a indústria química faz diversas pesquisas para aumentar ainda mais a eficiência dos produtos disponíveis no mercado.

A resina e o alto desempenho da tinta acrílica

Na composição das tintas acrílicas, são as resinas acrílicas que desempenham um dos papéis mais importantes. Elas dão “alma” às fórmulas, garantindo uma série de propriedades fundamentais para o resultado final de qualidade na parede:

  • Flexibilidade de aplicação.
  • Brilho.
  • Aderência.
  • Resistência.
  • Formação da película protetora.
  • Durabilidade.
  • Resistência às chuvas, umidade, chuvas etc.

Por esses motivos, as resinas acrílicas são desenvolvidas especificamente para cada necessidade, levando em consideração o caráter decorativo do ambiente, mas também a proteção dos materiais com os quais aquele local foi construído.

De acordo com a qualidade das tintas imobiliárias, o mercado as classifica em três categorias:

  • Econômica: tinta com o menor nível de desempenho;
  • Standard: tinta com nível intermediário de desempenho;
  • Premium: tinta com o maior nível de desempenho e qualidade superior às tintas standard e econômica.

Para que se enquadre em uma dessas categorias, a tinta passa por testes que avaliam suas três propriedades principais: poder de cobertura, rendimento e resistência a intempéries.

Com isso, enquanto as tintas econômicas são indicadas exclusivamente para uso interno (por sua baixa resistência às ações de sol e chuva), as tintas standard e, principalmente, as premium são indicadas tanto para aplicação em ambientes internos como externos.

Resinas acrílicas e resinas acrílicas estirenadas

No mundo das tintas acrílicas, os portfólios das marcas estão divididos entre os produtos à base de resina acrílica e de resina acrílica estirenada.

Muitos fabricantes adicionam na lata “tinta acrílica”, mas, na verdade, elas não são 100% acrílicas. Muitas vezes são misturas de acrílico com estireno ou vinil.

Isso pode impactar na formação de um filme mais duro, causando possíveis rachaduras nas paredes e também uma menor resistência aos raios UV, fazendo com que a parede fique desbotada rapidamente.

Tintas 100% acrílicas são mais resistentes a intempéries e garantem cores mais vivas por mais tempo. Por isso, procure na lata a indicação e garanta que a tinta seja 100% acrílica.

A cor da inovação

No mercado, em geral, as tintas acrílicas entregam eficiência, durabilidade e resistência. Ou seja, a principais características são muito parecidas. Mas para que lado vai a inovação?

A pesquisa e o desenvolvimento nos laboratórios da indústria química e dos fabricantes giram em torno de outros aspectos fundamentais para a aplicação na parede.

Entre as inovações recentes no mercado, destacam-se o menor tempo de secagem, o melhor nivelamento do filme e a capacidade de impermeabilização cada vez mais eficiente, entre outras vantagens.

Para a América Latina, por exemplo, uma nova tecnologia faz a tinta absorver o formaldeído (composto que impede o crescimento de microrganismos e que possui forte odor) para convertê-lo em vapor d’água. Isso melhora a qualidade do ar nos ambientes logo após a pintura.

E, para o consumidor final, além de arquitetos, engenheiros e outros profissionais do setor, a boa notícia é que as novas tecnologias têm o objetivo também de reduzir os gastos com os produtos. Isso porque tintas mais eficientes diminuem a necessidade de compra de várias unidades para a pintura da área de cada projeto.

 

LEIA MAIS:
A importância da viscosidade para as tintas