O investimento em automatização e inovação é um dos caminhos mais seguros para o melhor desempenho de uma obra, desde a concepção do projeto à execução, segundo a Associação Brasileira de Argamassas Industrializadas (Abai).

A MECANIZAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DE FÓRMULAS CADA VEZ MAIS EFICIENTES REDUZEM O DESPERDÍCIO E AUMENTAM A SUSTENTABILIDADE DAS OBRAS.

Exemplo disso é a industrialização de argamassas, o que pode contribuir com a otimização do trabalho. Construções que utilizam esse produto por meio de aplicação manual aumentam em aproximadamente 250% a produtividade da etapa de revestimento. Já nas que esse material é utilizado com um sistema de lançamento mecanizado, esse número pode chegar a 500%.

 

Eficiência e melhor acabamento

A mecanização de maquinário exerce um papel importante no ganho de eficiência. Isso porque equipamentos de mistura, de transporte e de projeção evitam interferências externas e mantêm a qualidade da argamassa produzida, garantindo alta performance.

A sacaria, por exemplo, é substituída pelo armazenamento em silos, enquanto o bombeamento por meio de mangotes (feito por mão de obra especializada) reduz o número de profissionais, o retrabalho e garante maior limpeza do canteiro. Além disso, o treinamento da equipe para operar os equipamentos pode ser feito em apenas um dia.

argamassa projetada

Outra vantagem é a qualidade do acabamento. Diferentemente da aplicação manual, em que a argamassa é sarrafeada e pode não aderir corretamente a todas as regiões da parede, a aplicação mecanizada oferece uma energia de projeção constante, do teto ao chão. Além da menor complexidade de execução da tarefa, o resultado é uma adesão mais uniforme.

Novas fórmulas e aditivos

Além do maquinário, a pesquisa e o desenvolvimento explicam as inovações na indústria de argamassas. Novos aditivos, por exemplo, garantem melhores formulações e soluções mais adequadas a problemas comuns (como a poeira causada pela mistura do produto):

Aditivos líquidos: aglomeram as partículas finas, tornando-as mais pesadas para que não se dispersem no ar. Consequentemente, a quantidade de pó na área da construção diminui, proporcionando maior visibilidade, menos danos em equipamentos e melhor aproveitamento do material.

Aditivos celulósicos: melhoram em até 25% as propriedades mecânicas da argamassa graças a quatro principais fatores:

  • Maior resistência ao deslizamento.
  • Melhor robustez à variação da adição de água durante a aplicação.
  • Excelente tolerância à temperatura.
  • Controle de secagem eficiente e ganho de rendimento.

As inovações em laboratório e na mecanização dos processos de fabricação e aplicação de argamassa contribuem de forma significativa para o menor desperdício e a sustentabilidade das obras.